Efeito Macbeth: a relação entre limpeza física e moral

0
400

O efeito Macbeth descreve um curioso efeito psicológico: Uma pessoa pode usar a limpeza física como um mecanismo para purificar sua má consciência. Algo que, à primeira vista, pode parecer tão impressionante quanto duvidoso, tem evidências científicas, demonstrando mais uma vez os mecanismos impressionantes da mente humana quando se trata de assumir o peso da culpa.

Um aspecto que sem dúvida teremos percebido com frequência é como literatura serve como um espelho psicológico, descrevendo certas condições ou distúrbios. Temos, por exemplo, a síndrome de Peter Pan ou Wendy, o complexo Electra, a síndrome de Alice no País das Maravilhas, etc.

Agora, não podemos negar que o efeito Macbeth permanece como um dos mais interessantes. Quatro séculos depois de William Shakespeare escrever sua magnífica obra Macbeth, A comunidade científica descobriu que a prática realizada pela esposa maquiavélica do rei da Escócia é tão real quanto desconcertante. Vamos ver mais dados abaixo.

“Saia, saia daqui maldita mancha!”

Lady Macbeth

Imagem representando o efeito Lady Macbeth

O efeito Lady Macbeth ou o ritual de purificação da culpa

No quinto ato da peça de Macbeth, a chamada “rainha demoníaca” sofre um episódio em que um pequeno indício de fraqueza é evidente. A má consciência a ataca após o assassinato do rei Duncan, instante em que ele começa a lavar as mãos compulsivamente, tentando se livrar de um sangue que só ela vê.

Poucos personagens da peça shakespeariana são tão chocantes quanto Lady Macbeth. Ela está emergindo como uma mulher forte, ambiciosa e, acima de tudo, cruel. Manipula empurra o marido a pedir que os atos mais violentos cheguem ao poder. E ainda, paraO final da peça Lady Macbeth acaba como uma mulher quebrada, alguém completamente destruído pelo peso da culpa e essa consciência que trabalhou tanto para reprimir.

Shakespeare era realmente hábil em nos mostrar em muitas de suas obras a anatomia mais profunda e complexa do ser humano. Ele nos falou sobre ciúmes em Othellode amor em Romeu e Julieta ou da neurose em Aldeia. Especialistas em seu trabalho, como o crítico literário Harold Bloom, apontam que, de certa forma, William Shakespeare lançou os primeiros fundamentos da psicologia. De fato, até Sigmund Freud tirou dele algumas idéias que serviram de base para delimitar e dar origem à psicanálise.

O peso da culpa e a necessidade de limpeza

Em Macbeth Mostra pela primeira vez um comportamento que a psicologia atual estudou em profundidade. O efeito Lady Macbeth descreve o comportamento pelo qual uma pessoa recorre à limpeza compulsiva (sejam as mãos ou o resto do corpo) para se livrar da culpa.

  • Esses rituais de purificação pretendem “limpar” uma consciência aparentemente suja. A princípio, esse comportamento responde a uma clara dissonância cognitiva. Um através do qual associamos limpeza física com limpeza moral, como se esse ato nos libertasse da mancha da culpa.
  • Por outro lado, um fato notável que foi comprovado é que, às vezes, não é necessário que uma pessoa pratique comportamentos inadequados; Apenas pense sobre isso. A simples ideia de imaginar algo perverso, violento ou obsceno também causa comportamento de limpeza compulsivo.
Efeito Macbeth

O que a ciência diz sobre o efeito Lady Macbeth?

Dr. Chen-Bo Zhong da Universidade de Toronto e Dra. Katie Liljenquist da Northwestern University  realizaram uma série de experimentos psicológicos em 2006, onde demonstraram o efeito Lady Macbeth. Nesta investigação, uma grande amostra de pessoas que foram convidadas a evocar momentos antiéticos de seu passado ou momentos em que se comportaram inadequadamente se encontrou.

Após essa evocação, eles foram convidados a pensar em algum objeto ou produto. Cerca de 60% pensaram em sabão para as mãos e grande parte deles, depois foram lavar as mãos. Os dados certamente são impressionantes, porque mais tarde, na pesquisa realizada por Dr. Jedidiah Siev, do Departamento de Psicologia da Swarthmore, nos Estados Unidos em 2018, respondeu os mesmos resultados.

Conclusões

Conhecendo a anatomia do efeito Lady Macbeth, nos fazemos a seguinte pergunta: A limpeza pode realmente absolver o peso dos pecados de nossas mentes? A resposta é simples e direta: não. De fato, só precisamos lembrar que o fim de Lady Macbeth, quebrado pelo peso da culpa, se transformou em um espectro de sofrimento e arrependimentos por todos os males cometidos.

Na realidade, Após esse comportamento, o transtorno obsessivo-compulsivo fica oculto em muitos casos. Os pensamentos carregados de culpa tornam-se intrusivos, esfaqueadores e cansativos. A pessoa não pode aceitá-las, essa culpa é corrosiva e a ansiedade aumenta intensamente até levar a comportamentos rituais (compulsivos) para tentar descarregar a carga negativa.

Em conclusão, ninguém expurgará seus demônios internos através de atos purificadores. A água apenas limpa a pele, mas nunca as memórias, e muito menos a alma.

Fonte

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here